Universidade pública e pesquisa

Atualizado: 28 de Ago de 2020

As universidades brasileiras se sustentam em três pilares: ensino, pesquisa e extensão, conforme previsto no artigo 207 da Constituição: “As universidades gozam de autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, e obedecerão ao princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.” Isso quer dizer que essas três atividades são inseparáveis e devem ser cumpridas pela Universidade. Embora as atividades de ensino e pesquisa sejam amplamente conhecidas e, de fato, realizadas, o conceito de extensão não é claro para todos os cidadãos e seu cumprimento é frequentemente negligenciado nas universidades. A extensão tem como objetivo levar os conhecimentos produzidos pelas atividades de ensino e pesquisa para fora da universidade, construindo uma ponte entre a universidade e a sociedade em geral.


“A ciência e a tecnologia partem do mesmo tipo de pensamento racional baseado na observação empírica e no conhecimento da causalidade natural, porém a tecnologia não está preocupada com a verdade, mas sim com a utilidade. Onde a ciência busca o saber, a tecnologia busca o controle.”

— Andrew Feenberg, em discurso realizado em 2003 na Universidade de Komaba, grifos pessoais.


A Universidade está diretamente associada ao desenvolvimento das sociedades contemporâneas, visto que é uma instituição em que se produzem novos conhecimentos e tecnologias. Para que cumpra sua função social, essa produção deve levar em conta o contexto da sociedade em que a universidade se insere, questionando o que é tido como “verdade” e identificando as demandas e desafios sociais apresentados. Dessa forma, os conhecimentos e tecnologias devem ser capazes de se tornar recurso para outros campos além do científico; o diálogo entre universidade e sociedade, portanto, deve ser constante.


Nesse sentido, mobilizar conhecimentos produzidos em territórios fora da universidade é essencial para a elaboração de soluções a problemas reais. Além de construir espaços em que as pessoas possam expressar sua voz, a universidade também deve dar ouvidos a essas vozes.