Sustentabilidade Complexa

Atualizado: 28 de Ago de 2020

A perspectiva de complexidade diante da sustentabilidade nada mais é do que a compreensão de que os caminhos para sociedades sustentáveis demandam olhares e ações carregados de saberes diversificados, em diálogo com equidade. Integra, portanto, uma diversidade de agentes sociais e seus discursos, em suas as dimensões histórica, econômica, social e política diante das propostas e ações sobre sustentabilidade.


"A sustentabilidade complexa reconhece as diferentes dimensões como, simultaneamente, solidárias e conflituosas, entrelaçadas como fios que se comunicam indefinidamente e de maneira inseparável, formando um conglomerado de processos e relações, que só assim podem ser adequadamente entendidas. As contradições e embates dessas dimensões não são consideradas excludentes, e sim, complementares, uma influenciando a outra e sendo por esta influenciada"

— Luzio-dos-Santos, 2017 apud Rocha & Luzio-dos-Santos, 2020

Uma vez com essa diversidade de ações sobrepostas, pode parecer pouco específica a ação ambiental. Diferentemente, os comportamentos para a sustentabilidade só podem ser plenamente compreendidos a partir da ótica sobre as relações, entre os diversos agentes e elementos interagindo de forma recíproca, sobre um sistema natural e humano. Essa concepção profunda de sustentabilidade integra as dimensões política e econômica às perspectivas sociais e culturais na compreensão dos mecanismos que determinam as relações humano-humano e, portanto, humano-ambiente.


Complexidade é, então, olhar para a relação e suas interações, não somente para as partes de um sistema.

. . .


Citação:

ROCHA, Jean Carlos Mendes da; LUZIO-DOS-SANTOS, Luís Miguel. Sustentabilidade Complexa: o discurso de sustentabilidade sob a perspectiva do Pensamento Complexo de Edgar Morin. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, [S.l.], v. 37, n. 1, p. 208-227, abr. 2020. ISSN 1517-1256. Disponível em: <https://periodicos.furg.br/remea/article/view/9789>. Acesso em: 28 ago. 2020. doi:https://doi.org/10.14295/remea.v37i1.9789.